Uma das mulheres apontadas como envolvidas no esquema de candidaturas laranjas do PSL de Minas Gerais disse que foi ameaçada por arma de fogo por Haissander de Paula, então assessor do ministro Álvaro Antônio, para que repassasse verba de campanha

Cleuzenir e Haissander, assessor de Marcelo Alvaro Antonio, em fotos com Bolsonaro

Assessor do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, na Câmara dos Deputados, Haissander Souza de Paula foi acusado por uma das candidatas do PSL de Minas Gerais que testemunham sobre o esquema de candidaturas laranja de tê-la ameaçado com arma de fogo para obrigar devolução de verba que havia sido destinada à campanha.

Segundo Luiz Vassallo, na edição desta segunda-feira (1º) da Folha de S.Paulo, Cleuzenir Barbosa Pereira, em depoimento, disse que De Paula ‘inclusive colocou uma arma de fogo sobre a mesa durante uma reunião para intimidá-la’ ao ‘insistir na devolução de verbas.

De Paula teria sido o idealizador da campanha de Clauzenir, que obteve 2 mil votos para deputada estadual em MG e não foi eleita. Ele foi preso na última quinta-feira (27) junto a Mateus Von Rondon, que cumpria a função de assessor especial do ministro do Turismo.

Segundo a decisão do juiz da 26ª Vara Eleitoral, Renan Chaves Carreira Machado, as gráficas contratadas para a campanha de Clauzenir e de outras candidaturas apontadas como laranjas, produziram “pouco ou nada” de material para as candidatas contratantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui