O reflexo desse tratamento poderá causar embaraço na aprovação do orçamento, que já apresenta um superávit de mais de um bilhão de reais

Nos corredores da Câmara Municipal e da Prefeitura de São Luís já era grande os buchichos da relação desastrosa entre o prefeito Eduardo Braide(sem partido) e a grande maioria dos vereadores da capital maranhense. No entanto, o que era ti ti ti se confirmou na manhã desta terça-feira(25), durante o discurso do vereador decano – Astro de Ogum(PCdoB).

O parlamentar usou o grande expediente para externar a ausência de sintonia entre os dois poderes. “Em 22 anos nesta Casa, na qual inclusive fui presidente, nunca havíamos vivenciado um comportamento tão desrespeitoso. As portas do Executivo estão fechadas. Não temos respostas dos nossos requerimentos, projetos de lei ou destinação de emendas. Somos fiscais do erário público, por isso o tratamento deveria ser mais amistoso e alicerçado no respeito”, disparou Astro.

A fala do parlamentar foi endossada pelos pares presentes, entre eles, os vereadores Jhonatan Soares do Coletivo Nós(PT), Concita Pinto(PCdoB) e Ribeiro Neto(Patriotas), que no momento presidia a sessão. “Parece que o comportamento do prefeito se estende para alguns dos seus auxiliares, há exemplo do secretário de saúde, Joel Nunes, que embora tenha muita estima, chega uma hora que precisamos colocar a consideração de lado. Não temos nenhuma informação de como foram aplicados os recursos oriundos das emendas destinadas por nós aquela pasta. Essa situação está ficando insustentável”, assegurou.

SUPERÁVIT NO ORÇAMENTO –

Na sua fala, uma das informações mais importantes disparada pelo decano comunista diz respeito ao superávit de 2021 para 2022. “Na LDO encaminhada a esta Casa já detectamos um superávit de um ano para outro de quase um bilhão e 200 milhões de reais, pois em 2021 aprovamos um orçamento de R$ 3 bilhões e 100 milhões de reais, e agora em 2022 os valores ultrapassam a casa dos R$ 4 bilhões”, informou Astro.

O parlamentar evidenciou que esse comportamento poderá refletir, de maneira direta, na aprovação do orçamento. “Se for pelo tratamento que o Executivo está dispensando aos vereadores, dificilmente a LDO será votada e aprovada da maneira que está”, disse.

Para finalizar, Astro de Ogum reconheceu a atuação do secretário de Governo – Enéas Fernandes, contudo ratificou que ele pouco está podendo fazer. “ Parabenizo o secretário Enéas que, dentro das limitações, tem feito o que pode. Ele nos recebe e conversa, porém o poder de decisão sobre as demandas dos vereadores não é dele”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui