Durante sua posse para o segundo mandato de governador, Carlos Brandão (PSB) afirmou neste domingo (1º) que promoverá mesmo uma reforma administrativa, mas pontuou que a troca de secretários ocorrerá apenas “no final de fevereiro”.
A seguir, os principais pontos da entrevista coletiva do socialista antes de ser empossado:
Reforma administrativa
“O anúncio do nosso secretariado se dará no final de fevereiro. Nós temos várias composições políticas, partidárias, e nós vamos começar a discutir no mês de janeiro e início de fevereiro”.
“Haverá algumas mudanças, naturalmente, por conta das novas composições e, com certeza, nós escolheremos profissionais que vão contribuir com o nosso governo. Os partidos vão todo o direito de participar, quem ajudou a construir vai me ajudar. Naturalmente, a gente vai discutir quadros que venham a somar para que a gente possa fazer um grande governo”
Educação
“Desde a campanha a gente tem falado que nosso governo é um governo de continuidade com avanços. Naturalmente, tem muita coisa, ainda, por ser feita e a gente pretende fortalecer muito a educação, porque a educação é a única maneira de a gente mudar a vida das pessoas. É lógico que a gente precisa investir, também, na infraestrutura, no social, na segurança alimentar e em todas as áreas que a gente precisa ainda ampliar. Portanto, educação eu diria que seria o carro-chefe do nosso governo, sem esquecer as demais áreas”
Combate à pobreza e parceria com Lula
“Estou muito otimista, porque temos dessa vez um grande parceiro, um parceiro do governo federal, tanto o governador Flávio Dino, que agora é ministro, mas também o presidente Lula, que tem essa sensibilidade, é um presidente que vai governar em parceria com os estados, é um presidente que vai governar em parceria com os municípios. Não se faz uma política de segurança alimentar, de melhoria dos indicadores sociais, se a gente não tiver a participação de todos os eixos, governo federal, governo estadual e o governo municipal. E é nessa linha que nós vamos trabalhar em conjunto com o governo federal e com uma grande parceria com os municípios”.

Veja a lista das possíveis indicações:

Casa Civil: Sebastião Madeira

Governo: Luzia Waquim

Gestão e Previdência: Anderson Lindoso

Educação: Felipe Camarão
MOB: Paulo Victor

Saúde: Tiago Fernandes 

Meio Ambiente: Adriano Sarney

Turismo: Catulé Junior
Cultura: Olga Simão 

Planejamento: Luís Fernando Silva

Comunicação: Emily Castelo Branco

Articulação Política: Rubens Pereira

Desportos e Lazer: Rogério Cafeteira

Mulher: Ana do Gás

Direitos Humanos: Augusto Lobato

Infraestrutura: Aparício Bandeira

Indústria, Comércio e Gás: Fábio Braga

Segurança Pública: Coronel Leite

Ciência, Tecnologia e Inovação: Bira do Pindaré

Agricultura Familiar: Adelmo Soares

Igualdade Racial: Professor Paulo Caribe

Agricultura, Pesca e Pecuária: Edson Araújo

Cidades e Desenvolvimento Urbano: Joslene Rodrigues

Trabalho e Economia Solidária: José Antônio Heluy

Fazenda: Marcus Brandão 

Administração Penitenciária: Fredson Maciel

Desenvolvimento Social: Paulo Casé

Transparência e Controle: Pedro Chagas

Relações Institucionais: Luzileide Cutrim

Juventude: John Ribeiro 

Agemleste: Socorro Waquim

Agemsul: Marco Aurélio

Caema: Marcos Silva

Detran: Diego Rolim

EMAP: José Reinaldo Tavares

Procon: Karen Barros

Viva: Jota Pinto

Gasmar: Adaltina Queiroga

Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores: Murilo Andrade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui