Desde que tomou posse à frente da Secretaria de Estado da Mulher (SEMU), no início de março, em Imperatriz, a secretária Abigail Cunha, vêm buscando a promoção do diálogo com diversas representações femininas de todo o estado, com o intuito de estreitar as relações para a construção de políticas públicas que atendam as mulheres maranhenses nas suas reais necessidades. 

“Estando à frente da SEMU, venho buscando o diálogo com os segmentos e representações femininas em nosso Maranhão, conhecendo suas reais necessidades. É essencial estreitarmos as relações para que juntas possamos construir políticas públicas que amparem e protejam nossas mulheres. Fico muito feliz pela receptividade e agradeço a acolhida neste primeiro contato. Daremos continuidade e seguiremos firmes nesta pauta”, ressaltou Abigail.

Parceria com a ONU e Procuradoria da Mulher da Assembleia

Neste mês de março, um período tão importante e representativo para as mulheres, Abigail participou de várias agendas. A exemplo da sessão solene, realizada no dia 08 de março, em homenagem ao dia Internacional da Mulher, na Assembleia Legislativa do Maranhão. 

O evento marcou o lançamento da cartilha “Mermã, teu direito é lei”, uma iniciativa da Procuradoria da Mulher da Assembleia, que contou com a contribuição da agora secretária da Mulher, para a compilação do material que reúne leis estaduais e federais, bem como benefícios disponíveis para as mulheres maranhenses. Além disso, a secretária recebeu, no dia 16 de março, em seu gabinete, a comitiva da ONU Mulheres Brasil, com o objetivo de solidificar as relações entre o Governo do Maranhão e a instituição, através da Secretaria de Estado da Mulher (SEMU), para que projetos e programas destinados às maranhenses, possam acontecer em parceria e impactar o maior número de mulheres possível.

Escutas

Continuando sua agenda de escutas, a gestora da SEMU, no dia 27 de março, reuniu-se, em conjunto com as Secretarias de Estado do Trabalho e da Economia Solidária, dos Direitos Humanos e Participação Popular; Movimentos das Mulheres Sem Terra; e Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras do Estado do Maranhão (FETAEMA), para ouvir as demandas oriundas das mulheres assentadas nos territórios rurais do estado, visando a garantia dos seus direitos e proteção. 

Na oportunidade, discutiram ainda acerca da participação das mulheres maranhenses na “Marcha das Margaridas”, que acontecerá em agosto deste ano, em Brasília. De antemão, Abigail, colocou a Secretaria da Mulher, à disposição para auxiliar na construção deste momento ímpar para as mulheres do campo e suas reivindicações.

Finalizando as escutas, a secretária recebeu representantes do Conselho Estadual da Mulher (CEM), para ouvir as pautas referentes ao controle social. 

A secretária adjunta da SEMU, Antonieta Lago, enxerga as escutas junto as representações femininas e movimentos de mulheres como essencial na construção de políticas públicas de forma coletiva. 

“O Maranhão é um estado com uma representação de movimento de mulheres bastante acentuada e crescente, e além de tudo muito representativo, então esse momento que a Secretária Abigail abre para a escuta desses segmentos é muito importante para a construção dessa política que é feita de forma coletiva”, observou.

Presente durante as escutas, Gersina Viera, que é coordenadora estadual da Marcha das Margaridas e também presidente do Conselho Estadual da Mulher (CEM), ressalta a importância do estreitamento das relações do poder público com a sociedade civil. 

“Sabemos que é de suma importância ter esse diálogo entre sociedade civil e poder público, por que nós enquanto sociedade civil, apresentamos a pauta, mobilizamos, reivindicamos e o poder executivo tem o poder da execução da política pública. Então, é importante estabelecer esse elo de ligação, de parcerias porque as políticas precisam ser efetivadas”, pontuou.

Ela explicou ainda, o papel do controle social na construção das políticas públicas para as mulheres.

“O Conselho Estadual da Mulher está interligado a SEMU e sabemos que o Conselho é o controle de política pública, mas precisa estar dialogando com o eixo governamental, que no caso é a SEMU, então precisa haver esse diálogo, precisa ter essa construção porque a pauta principal é a política específica para as mulheres”, afirmou.

Reunião com as gestoras municipais de Políticas para Mulheres

Por fim, ainda no último dia 27 de março, foi a vez das gestoras municipais de Políticas para Mulheres, que em reunião online com a nova secretária, puderam externar as demandas específicas dos seus municípios. 

Na ocasião, mais de 60 municípios estiveram representados, em que foi confirmado a realização de um encontro presencial a nível estadual, que acontecerá oportunamente em data a ser confirmada. A intenção é que sejam pensadas agendas conjuntas na criação de políticas públicas de valorização e protagonismo das mulheres maranhenses em todas as suas especificidades.  

Para a gestora municipal de Políticas para Mulheres de Barreirinhas, Marilene Santos, a reunião foi muito produtiva, no sentido de reafirmar a continuidade dos programas já executados pela SEMU, com a solicitação de ampliação dos mesmos. 

“Reunião muito produtiva, onde podemos pontuar nossas expectativas quanto a continuidade dos programas ‘Te Empodera, Mulher’, ‘Mulheres Guardiãs’, e ‘Minha Escola Me Acolhe’, pedindo a ampliação e permanência desses programas. Falamos também da necessidade da promoção da intersetorialidade, para que as outras Secretarias pensem de fato a política para as mulheres. Conversamos também a respeito da implantação das Casas da Mulher Maranhense em mais munícipios do estado. No mais, a secretária Abigail, deixou uma ótima impressão, demonstrando um interesse genuíno pelo desenvolvimento das políticas para as mulheres com a maior qualidade possível”, enfatizou. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui