PL de sua autoria reforça importância e papéis desempenhados por esses profissionais

A autora explica que o historiador também terá como contribuição desenvolver pesquisas históricas no âmbito da capital. / Leonardo Mendonça 

Tramita nas comissões de Justiça, Educação e Cultura o projeto de lei n° 216/22, de autoria da vereadora Concita Pinto (PCdoB), que dispõe sobre a obrigatoriedade da permanência dos historiadores nos espaços de preservação de memória, como museus, fundações, bibliotecas, teatros, igrejas históricas e arquivos públicos no município de São Luís.

A autora explica que o historiador além de prestar atendimento ao público, terá como contribuição também, desenvolver pesquisas históricas no âmbito da capital. “O profissional da área mantém a dinâmica durante as visitas aos museus e espaços de memória. Porém, muito além dessa função, esse profissional pode assumir muitas outras atribuições”, refletiu Concita.

A justificativa do PL descreve funções como monitoria e mediação, além da organização de oficinas, palestras, escolha da disposição das peças, podendo atuar inclusive como gestor do local. “Tarefas como conservação, higienização, catalogação e digitalização também são pertinentes à área, desde que o profissional tenha cursos específicos além da graduação”, conforme trecho do documento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui