Desesperado, prefeito ludovicense tenta linha de dialogo para iniciar processo de ‘salvação’.

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (PSD), numa clara tentativa de reagir ao isolamento político vivenciado na capital, resolveu bater na porta do Palácio dos Leões, de forma desesperada.

Alvo de denúncias de corrupção que elevaram o desgaste de sua imagem, Braide sabe que sua situação politica tende a piorar.

Considerado um dos maiores derrotados de 2022, o prefeito da capital amargou várias derrotas: perdeu a eleição para governador apoiando Weverton (PDT), não conseguiu reeleger o deputado federal Edilázio Júnior (PSD) e foi trucidado na capital com a votação do senador Roberto Rocha (PTB).

Somando tudo isso, Braide também perdeu o comando da Câmara de Vereadores que agora é presidida por Paulo Victor (PCdoB), considerado seu maior desafeto na disputa do ano que vem.

Além disso, a situação do gestor se agravou com a não reeleição de Jair Bolsonaro (PL), de quem o prefeito era simpático.

O que já era ruim, piorou ainda mais com uma série de denúncias de corrupção que culminaram com a exoneração em massa na Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas). Vendo sua rejeição aumentar e a reprovação ao governo duplicar, Braide se viu obrigado a procurar Brandão em busca de apoio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui