Emocionado, Eduardo Nicolau afirmou que seu desejo é lutar para que nenhum cidadão passe fome ou fique sem hospital


“Somos representantes do cidadão que não passamos; diferente do vereador e do deputado”, diz Eduardo Nicolau sobre papel do MP

O procurador-geral de justiça do Maranhão, Eduardo Nicolau, acabou se emocionando, na noite desta quinta-feira (10), em entrevista à Rádio Nova FM (93.1 MHz), ao falar da luta diária para garantir direitos da sociedade maranhense.

A situação precária dos pacientes em algumas unidades de saúde de São Luís levou o procurador às lágrimas. Em sua declaração no programa ‘Tá Na Pauta’, comandado pelos apresentadores Isaías Rocha e Thales Castro, com participação do comunicador Christopher Damasceno, o procurador também se emocionou ao falar da fome.

“Nosso desafio é garantir os direitos da sociedade. A única coisa que quero dizer para população é que não quero nenhum cidadão passando fome. Eu não quero ninguém sem hospital”, disse Nicolau que, em seguida, chorou.

No bate-papo, o chefe do Ministério Público do Maranhão também destacou que a educação é a principal área de atuação da instituição. “A gente só liberta o ser humano pela educação. Ninguém se liberta sem educação”, frisou.

Na entrevista, Nicolau também contou um pouco de sua trajetória no órgão e revelou que antes da promulgação da Constituição de 88, o Ministério Público era um apêndice do Poder Judiciário.

“Não quero nenhum cidadão passando fome. Eu não quero ninguém sem hospital”, disse Nicolau que, em seguida, chorou

O procurador também se posicionou diante das especulações de uma possível candidatura à Prefeitura de São José de Ribamar e voltou a negar desejo de disputar eleições em 2024. Ele falou que assumiu o comando do MP durante a pandemia e afirmou que naquele período a luta por vacinas pautou as principais ações do órgão.

Nicolau também respondeu a questionamentos sobre o processo de escolha para a vaga de desembargador destinada ao Ministério Público, através do quinto constitucional, dispositivo constitucional para garantir que um quinto das vagas de determinados tribunais brasileiros seja preenchido por advogados e promotores, e não por juízes de carreira.

No bate-papo, ele também falou da relação entre os Poderes, respondeu a questionamentos sobre a Recomendação que trata da realização de festas carnavalescas pelos municípios maranhenses. Por fim, destacou que o Parquet vai abrir procedimentos para apurar os vídeos que circulam nas mídias sociais mostrando pacientes sendo transportados em rede por falta de ambulância nos municípios maranhenses de Turiaçu e Santa Luzia.

“É pra evitar cenas como essas que o MP publicou o documento, de caráter preventivo e de orientação, recomendando que os gestores municipais pautem-se nos princípios da razoabilidade, proporcionalidade, moralidade e eficiência”, concluiu.

Ouça ao bate-papo:

ttps://www.facebook.com/plugins/video.php?height=314&href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fnovafm93.1%2Fvideos%2F908758750438230%2F&show_text=false&width=560&t=380

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui