O deputado Eric Costa (PSD) protocolou, junto à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, Indicações solicitando que sejam encaminhados ofícios ao governador do Estado, Carlos Brandão, e ao secretário de Estado  de Segurança Pública, Maurício Martins, pedido de providências para que seja instalado um posto da Polícia Militar no Residencial Sebastião Reges, no município de Imperatriz. Em outra Indicação, ele solicitou também a  implantação de uma Escola de Tempo Integral Indígena em uma aldeia de Barra do Corda.

O parlamentar faz também pedido de providências para que sejam realizadas melhorias nas ruas do Residencial Sebastião Reges, bem como a conclusão da obra do poço artesiano que se encontra paralisada no bairro.

“O bairro Sebastião Reges é uma comunidade com mais de três mil residências e cerca de 15 mil habitantes, que enfrenta graves problemas de infraestrutura básica, especialmente em relação às condições das ruas, que estão intrafegáveis, dificultando o acesso dos moradores aos serviços essenciais”, argumenta o deputado.

Eric Costa acrescenta, ainda, que o bairro não conta com abastecimento de água potável, sendo que existe uma obra de perfuração de um poço artesiano paralisada no local. “A população tem enfrentado dificuldades para ter acesso à água potável e, muitas vezes, os moradores são obrigados a buscar água em locais inadequados, colocando em risco a saúde de suas famílias”, assinala o parlamentar.

Escola Indígena

Em outra Indicação, o deputado Eric Costa solicita que seja encaminhado ofício ao governador Carlos Brandão e ao secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, com pedido de providências para que seja implantada uma Escola de Tempo Integral Indígena em uma aldeia no município de Barra do Corda.

O deputado argumenta que uma escola de tempo integral terá grande importância para esta comunidade indígena, tendo em vista que enfrentam desafios significativos em termos de acesso à educação, recursos e oportunidades educacionais adequadas.

“Uma escola de tempo integral fornece um ambiente mais seguro e acolhedor aos alunos indígenas e visa retirar as crianças da BR 226, que cruza as aldeias indígenas, local onde elas passam o dia pedindo esmolas nos acostamentos. Com uma escola dessa modalidade de atendimento, a comunidade indígena passará a contar com uma gama de recursos e oportunidades educacionais, como aulas extracurriculares, biblioteca, atividades físicas e culturais, além de segurança alimentar”, explica o parlamentar em seu pedido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui